segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Desabafo




Para quê me entender?
Para quê me conhecer?
Se afinal eu sou riso e lágrima
amor, ternura e pensamento

Navego neste mar bravio
sempre tentando equilibrar
o mastro do meu navio
para não me deixar afundar

Saboreio cada momento
visto-me da espuma do mar
bebo todas as palavras
que brotam do teu cantar

Assim vou soltando o riso
as lágrimas e o meu penar
sem ter qualquer ilusão
sei que vim para te amar


Paula Minau


P.S. Estou imensamente grata a todos os que de uma forma ou de outra tem passado pela minha vida. Sinto que sou privilegiada, porque tenho tido a honra de conhecer pessoas fantásticas. Não interessa enumerar, algumas só eu sei como foram e são importantes para mim, isso basta-me...

Para todos os meus queridos amigos, os que conheço pessoalmente, os que conheço e nunca vi e aos que visitam este blog, o meu imenso desejo de um Feliz Natal!! Que a vossa alma se inunde de amor, felicidade e gratidão.

Muito Grata
Paula Minau



quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Eu Não Sabia....


Sabes?... eu não sabia
que nossos corpos podiam
respirar o mesmo ar
tua música fazia
encantar-me e cantar

Sabes?... eu não sabia
o que a tua voz podia
meu coração acalmar
que o meu corpo estremecia
ao ritmo do teu dançar

Sabes?... eu não sabia
que o teu abraço fazia
meu corpo tremer, vibrar
que as tuas mãos tatuariam
minha pele ao seu tocar

Sabes?... eu não sabia
que as nossas bocas sentiam
mesma paixão ao beijar
que em desejo e sintonia
em vida se pode amar

Sabes?... eu não sabia ...
Mas vim aqui te contar.

Paula Minau
Fernão Botelho

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Segredo


Que nunca possam os medos
Impedir-nos de sonhar
pois sempre caem segredos
que animam o confiar
.
.
Que nem memórias sem siso
sufoquem o respirar
pois sempre no meu sorriso
tens o dom de te animar
.
.
Porque sou luz, sol e vento
alma, fonte, foz e mar
e em ti sinto a corrente
onde me quero banhar

.
.


Paula Minau
Fernão Botelho

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Sonho





Fui ouvir o vento
deixar-me tocar
fui dançar na praia
fui olhar o mar

fui colher as conchas
ver cada pedrinha
fui soprar a areia
senti-me rainha

rainha despida
sem c´roa nem manto
apenas a espuma
cobria meu pranto

Coroei-me de algas
Da cor dos meus olhos
Um colar de búzios
Coloquei no colo

Senti-me rainha
deixei-me levar
veio a aragem fria
caminhei pró mar



Paula Minau

domingo, 5 de outubro de 2008

Grata!




Mostrar-te a alma queria
por tanto ansear por ti
Cantar prazer, alegria,
Gritar quando olhas para mim
.
Sentirias a ternura
que invade o meu coração
força, desejo, loucura,
cortando a respiração
.
Sorririas de amor
A cada olhar que te dou
tatuar no meu teu corpo
gemer e tremer eu vou
.
Por todo o amor que te dou
por todo o amor que me dás
posso gritar, meu Amor:
viver contigo é demais!
.
.
(A quatro mãos... )
.
Paula Minau
Fernão Botelho

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Os Teus Olhos


Tenho os teus olhos em mim
doces, brilhantes
felizes, radiantes
olhos negros
cheios de luz
penso e sinto
vejo e contemplo
assim os vejo
assim os quero
assim os tenho
porque pensa-los
é te-los
porque senti-los
é vê-los
porque tu
estás em mim
e eu fui feita para ti


Paula Minau

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Saudade


Poderosa és tu ó saudade
que crias raízes espessas
com garras felinas
entranhas a alma
quebras o coração
sem qualquer compaixão
e nesse tormento
é tal o desgosto
que essa ausência
provoca no corpo
que a alma
pede encarecidamente
um local sereno
para repousar
e descansar a mente
.

Paula Minau


sexta-feira, 1 de agosto de 2008

terça-feira, 29 de julho de 2008

domingo, 20 de julho de 2008

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Insegura


Impossível controlar as palavras
impedi-las de brotarem inquietas
mais genuínas que alguma vez as quis
soltam-se vadias,ousadas,
profundas e cheias de magia
Não as controlo, não as seguro
revoltam a ânsia que sinto
de continuar a nascer de novo
mostram o passado e todos os fantasmas
as recordações e todas as memórias
e sem qualquer alternativa
roço entre a saudade e a vida viva
entre o amor ardente e a dor cruel
entre o ficar quieta e o partir inserto
porque são elas que comandam
e controlam a minha vida
.
.

.

Paula Minau

terça-feira, 15 de julho de 2008

Tigresa

Ter-te



Ter-te abafa todas as dores
ter-te seca todas as lágrimas
ter-te transforma a dor em fervor
ter-te é voltar a sorrir
ter-te é voltar a acreditar
que mesmo que pouco faça sentido
o meu sentido existe
e é coerente e cheio de luz

.
.
Paula Minau

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Corinne Bailey Rae- Like A Star

Shiu




Se um grito
aliviasse a dor que sinto
se um grito
acabasse com esta dúvida
se um grito
trouxesse-te ao meu encontro
certamente gritaria
e seria tão forte este grito
que tudo pararia
e num êxtase de paixão
os nossos corações
saberiam entender e viver
uma felicidade plena
.
.
.

Paula Minau

sexta-feira, 4 de julho de 2008

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Verdade



Queria arrancar todas as palavras
todos os sentimentos de dentro
oferecer-vos como prova do que sou
como se necessitasse que acreditassem
na ingenuidade que tantas vezes me consome
mas que não impede que enormes desejos
me rasguem a alma
e que me façam acreditar
que um dia será possível
vê-los tornarem-se realidade
e encherem-me da maior felicidade
Nessa altura não haverá lugar para o vazio
nesse momento a fé que me envolve
assim como a vontade louca de não desistir
e que me dá força sempre que rastejo
nas pedras lascadas
aquelas que me ferem a alma
resultem num imenso sorriso de plena felicidade
Paula Minau

terça-feira, 1 de julho de 2008

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Aninhada


Será que eu posso esquecer-me de mim
afastar da mente todas as preocupações
as indecisões e as deliberações tomadas
esquecer o tempo e as frases aprimoradas
e por momentos aninhar-me em ti?
Ficar nesse colo quente e aconchegado
perder-me de mim e adormecer ao teu lado
no quente desse ninho tão desejado
receber esse teu beijo demorado
e deliciar-me nessa ternura pura e doce?
Será que posso ser outra vez uma menina
abraçar-te sem medo nem dúvida alguma
e ficar assim aninhada a olhar a luz da lua
e a ouvir o silêncio das tuas palavras nuas?
Hoje quero só esquecer o mundo,
perder-me de mim e ficar assim aninhada em ti.


.

.

Paula Minau

quinta-feira, 26 de junho de 2008

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Ternura




Tempo de reflexão
Entre uma vida cheia e a escuridão
Recobro de tempos ilusoriamente vividos
Num resto de sonho e solidão
Ungida de fortes aromas
Rasgada pela dor de tanto crer
Amando no limite da ternura

.
.

e no extremo da incompreensão
Paula Minau

domingo, 22 de junho de 2008

sábado, 21 de junho de 2008

Lírica




Um peito que arde
de tanto doer
um nó que aperta
e rasga esta fúria
que teima em vencer
um raio de sol
um sopro de vento
a aragem do mar
no meu pensamento
uma lágrima miúda
quer ser forte, crescer
os lábios dormentes
de tanto tremer
e aquela vontade vigorosa
de tanto querer
.
.
Paula Minau

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Rir



Hoje lembrei-me como posso rir de mim
que tenho total liberdade para tal
que posso rir dos preconceitos
das ideias loucamente criativas
das atitudes mais ou menos esperadas
dos sorrisos friamente elaborados
dos lábios finamente desenhados
nos rostos seriamente adoentados
hoje estou assim
sem receios, nem quereres
apenas deveras destemida
olhando e sorrindo para a vida
com total transparência
totalmente desinibida
hoje sim, vou estoirar de tanto rir de mim

sábado, 7 de junho de 2008

sábado, 31 de maio de 2008

Aquarela

O meu maior sonho


Pouco a pouco foi surgindo como um sonho grandioso, dei-lhe asas e arrisquei. Era lindo este sonho, eu queria voltar a ser mãe!


O risco era imenso, punha em jogo uma carreira, modificava a minha vida, era principalmente algo que podia nunca acontecer, e pior causar-me grande sofrimento físico e psicológico. Já o sabia porque seria a terceira vez que arriscava.


Mas o sonho não passava e pouco a pouco fui encontrando as respostas, as que a vida sempre nos dá, para que o sonho se torna-se cada vez mais real.


Sabia que ia ser difícil, que o trajecto era duro, que este sonho podia evaporar-se, mas não conseguia desistir. A vontade já dominava o coração e não permitia dúvidas, nem tão pouco qualquer recuo.


Cheia de ansiedade, porque nem o sonho tranquiliza a mente, caminhei, passo a passo, arrisquei e lutei. Os primeiros 3 meses eram definitivos, eu sabia-o muito bem. Apesar dos sinais serem os mesmos das vezes anteriores não perdi a fé.

Engravidei, passei pelo inferno e voltei, e quando tudo parecia bem, eis que chega a noticia de que tudo podia estar a correr mal. O meu filho podia sofrer de diversos problemas. Podia? Porque ninguém queria assumir nada, apenas dúvidas, mas pelas estatísticas e probabilidades, não havia que pensar, só agir - diziam eles!

Mas eu amei-te ainda antes de existires, num amor pouco humano até, uma paixão desmedida, um amor pelo qual se dá a vida.


Assim e depois de todos me aconselharem a fazer o que segundo eles era certo, porque o risco era imenso, corri desesperada. Queria ouvir todas as opiniões, precisava de uma só que aquietasse o meu sofrimento. Recordo todos os olhares, de espanto e admiração. Como podia eu afinal ainda levantar qualquer questão. Seria louca? Queria sofrer? Ninguém queria arriscar, somente eu continuava com esperança, aquela que sempre habitou o meu coração. Questionei todos os médicos, cansei-os até à exaustão! Queria respostas concretas e que olhassem e vissem uma mãe grávida e aflita. Mas não era isso que viam, limitavam-se ao silêncio e a um franzir de testa, que me causava uma dor imensa.
Depois de tanto pensar só uma verdade existia, o meu sonho ia realizar-se porque eu decidira dar-lhe vida!


Depois de ultrapassar os limites da ansiedade, chegou o momento da verdade. Confesso que já nem estava preocupada, somente te queria ver, ter e amar.

Eras enorme e tão lindo! Abracei-te entre tremores, lágrimas e sorrisos. Vi que aparentemente eras perfeito, mas que importava, eu sentia-me no céu, no paraíso, nas nuvens, tal era a felicidade. Para mim eras saudável , brilhante, o meu menino jesus, mais do que eu podia querer, mais do que podia imaginar. Algo que mais tarde os médicos vieram a confirmar.

Hoje tem 9 anos, temos um pelo outro um amor puro e incondicional. Faz -me sorrir, rir, cantar, só de ver aqueles olhos grandes, imensos, sempre a brilhar. Entendo-o mesmo quando não fala, ele ri e diz que eu adivinho. Eu respondo que é por ser mãe e sorrio, sempre sorrio para ele.


Os sonhos podem realizar-se, acreditem! Mas também há que lutar.


Amanhã é dia da criança, para mim é só mais um dia. As crianças são e merecem ser crianças todos os dias.


Para todas as mães que um dia arriscaram dar vida aos seus filhos, ainda que se levantassem dúvidas, o meu abraço cheio de amor, ternura e compreensão. Ás crianças, que posso eu dizer? Que merecem ser amadas, protegidas e cuidadas. Feliz dia da criança, hoje e todos os outros dias.

.
.
Paula Minau

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Gianna Nannini - Meravigliosa Creatura

gianna nannini - meravigliosa creatura

TRADUÇÃO

Maravilhosa criatura

Atravessarei todos os mares e rios,
Na tua terra me poderás reencontrar.
Cavalgarei tornados e tempestades,
Voarei por entre os relâmpagos,
só para te ter.

Maravilhosa criatura estás só no mundo,
Maravilhoso temor de te ter a meu lado.
Olhos cintilantes incendeiam-me o coração.
Amo a vida, maravilhosa.

Luz dos meus olhos, brilha em mim!
Quero mil luas para te acariciar.
Mergulho nos teus sonhos para te velar,
Não despertes!
Não despertes… ainda!

Maravilhosa criatura estás só no mundo,
Maravilhoso temor de te ter a meu lado.
Olhos cintilantes tremem-me as palavras.
Amo a vida, maravilhosa.

Maravilhosa criatura um beijo lento,
Maravilhoso temor de te ter a meu lado.
Inesperadamente, imerges no paraíso.
Morro de amor, maravilhoso

terça-feira, 27 de maio de 2008

O meu nome


Palavras fortes
e bem trabalhadas
as que ofereces todos os dias.
Mas se tu soubesses como elas ferem, matam e sem qualquer permissão fazem correr
lágrimas de sangue vivo e quente
do meu coração.
Bebo essas palavras
sempre belas e profundas
cheias de emoção e pureza
mas sabes elas nunca chegarão
nem próximo daquilo que sinto
e que jamais entenderás.
Fortes essas palavras,
não espelham a realidade
porque da alma que tu vez
nunca encontrarás razão
para decifrar e entender
o poder de uma vida
que sendo fortemente vivida
é amor, dor e alegria
misteriosa, mas sentida
e rica de tudo e de nada.

domingo, 25 de maio de 2008

Fujo


E se eu não quiser ser tolerante
nem sequer tentar entender
nem ouvir o coração
deixa-lo solto sem dor
sem remorsos ou qualquer
temor
se eu quiser ser só livre
sem nenhuma educação
sem princípios
sem razão
apenas alma vazia
que quer soltar o seu grito
e se eu disser basta
agora é a minha vez
quero ser egoísta
pelo menos uma vez

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Despedida



Lagrimas que brotam de mim

num sentir profundo

deixo que se percam

que se afastem de mim

não as guardo mais

quero que deslizem

soltas, livres, num derrame louco

despeço-me delas por fim!

Paula Minau

domingo, 18 de maio de 2008

Perseverança

.
.
.



Serão os afectos superiores à nossa essência?
O nosso eu interior muda ao longo da vida?
Ou vamos ficando mais fortes e maduros, à custa de muita luta e desilusão?
Apagamos nós todas as memórias?
Ou permanecem aquelas que não queremos esquecer?
E as lágrimas, sim aquelas que brotam dos nossos olhos sem pedir licença, por acaso servem para aprendermos a viver?
.
.
Algo permanece em mim,
a vossa essência,
essa fica para sempre...

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Sebenta


.
.
.
De sorriso escondido
também se pode viver
não há mal nem há bem
apenas saber entender
agarrada ao futuro
seja ele qual for
esquecendo o passado
perdido na dor e no amor
todo o tempo calada
não importa o vazio
sou a alma que paira
neste mar sempre frio
ninguém vai reparar
não há lume nem vento
o passado já foi
o futuro tem tempo
aqui neste lugar
onde tudo é perfeito
deixo o sorriso e a alma
voarei para longe
sendo o destino imperfeito
deixo as paixões e a cor
no meu álbum do amor
uma lembrança embrulhada
num papel colorido
e a certeza porem
do dever bem cumprido.
.
.
.



terça-feira, 6 de maio de 2008

Luar


Como uma criança

também eu queria agarrar a lua

tocar-lhe

senti-la

Por isso corro e quando caio

há sempre uma estrela que me estende a mão

e volto a levantar-me e a sorrir

mas sempre sonhando com a lua

domingo, 4 de maio de 2008

Campanha da Amizade

CAMPANHA DA AMIZADE
.

.
.

Dizer obrigada é pouco...
Eu que tenho tanta dificuldade em expressar -me só por palavras, fico com imensa pena que tu Cor Do Mar não possas ver os meus olhos, o meu rosto e as minhas mãos. Mas aqui é mesmo assim, palavras... Este selo foi-me oferecido com enorme carinho e eu que ultimamente tenho andado meio escondida na minha "concha" levei tempo para o publicar. Sei que entendes, conheço-te embora nunca te tenha visto. Mas nem preciso, conheço-te mesmo assim. Para ti Cor Do Mar um beijo cheio de ternura porque és linda!
.
Vou dar seguimento a esta campanha, embora seja muito difícil cumprir as regras :)... só 10? tão pouco! Enfim, aqui vai:
.

Coragem
Sky Walker
Notas Soltas - Xana
Simplesmente Joana
SF - Sónia
BlueVelvet
Girafa cor de rosa
Luraibow
PoetaeuSou
Semotivo - Ray
.
.

INSTRUÇÕES: Copie o selo aqui no blog ou no Gospel Gifs (http://gospel-gifs.zip.net), nomeie 10 blogs amigos e visite cada um deles avisando da nomeação. Se foi nomeado por alguém, passe adiante e visite os outros nove blogs que foram nomeados junto com você. Ao passar a campanha, pode copiar o texto acima ou criar o seu próprio texto. O importante é não esquecer de avisar onde se encontra o selo e de nomear os seus 10 blogs amigos.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Degustar



Docemente saboreio pensamentos e sentires que fazem parte de mim.

Interpreto e recuso os que em nada se identificam comigo, na certeza porem que os entendo, mas simplesmente os ignoro, porque de tão pequenos e mesquinhos não tem espaço aqui.

Respiro cada palavra, cada gesto, cada expressão de puro prazer e amor.

Pouco a pouco deixo nascer um sorriso, de puro contentamento, por me saber vida e energia, capaz de degustar esta vida independentemente da existência de tudo aquilo que nada conta para mim

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Cumplicidade


E se eu não disser nada?
Se eu não escrever
não falar?
Tu endendes-me?
Somente observando
este meu olhar?

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Papel


Hoje seria muito mostrar os meus olhos
porque até eles me iriam desnudar
por isso escondo-os,
entrego-me ao que faço bem nesta vida
ao que sempre tive
ocupo a mente
represento o meu papel
novos planos
novos projectos
entrega total
mas escondo os olhos
não vão eles me denunciar

terça-feira, 29 de abril de 2008

Equivoco

Amor!
Sensibilidade!
Poesia!
Mulher!
Equivoco...
Que mundo o meu tão racional...

.

.

.

.

E a sinceridade pura?
A honestidade?
E a mãe?
E os outros ?
Os outros?
E o querer bem?
E a preocupação com?
Este é o meu mundo...
Um equivoco certamente
Assim se faz andar o mundo
Outro equivoco!
E os sorrisos?
E os afectos?
E o amor?
A felicidade?
E....!

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Saber-te



Procuro em cada traço

um pouco de ti

em cada expressão

em cada olhar

em cada palavra

Tudo é tanto

e este tanto

não basta

Procuro-te de novo

sempre sorrindo para ti

domingo, 27 de abril de 2008

Aguarela


Basta um olhar atento
e tudo vez...
sentirás o calor que emana através das cores quentes
e o sofrimento das cores frias
como as de um arco ires
O brilho que ainda tem
apesar do cansaço
A técnica usada
que será sempre simples
Os ângulos docemente traçados
e meticulosamente desenhados
Encontrarás um poema
de amor e vida
de luta e lágrimas
de paixão e tristeza
de ternura e emoção
da razão que não vive só
porque habita o coração
e assim será como tu a vês
sem influência alguma
tudo está nesta simples tela
trabalhei-a para ti.....

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Simples


É pelas pequenas atitudes
que conhecemos a essência das pessoas
O resto
é só para enfeitar
e pouco vale afinal
Por isso é tão fácil entender
porque é que o nosso coração
sabe tão bem
quem ele quer amar

Raro

Enorme mundo o meu
encontro-te no meio da multidão
não calo a voz do meu coração
brilham os meus olhos
de tanto te saber
corro na tua direcção
ainda que o caminho seja intransitável
ainda que pareça árduo
não paro
sorrio
porque tu és raro
não paro
voo para ti

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Calo-me


.
.
.
Quando as minhas palavras
não brotarem da minha alma
calo-me
Quando o sentimento não for
maior que a razão
calo-me
Quando o amor não dominar
o meu coração
calo-me
Porque quero uma alma livre
um coração cheio de emoção
e palavras que sejam vida

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Sou


Sou alma inquieta.
.....................................................................
................................................................
...................................................
............................................
. .......................................................
. .................................................
. ..........................................
. ....................................
..................................................................
...........................................................
Quero ...........................
.................................
........................
....................................................
. .............................................
Eu. ........................

terça-feira, 22 de abril de 2008

Sinais


Desperta por todos os sinais
sensível a todos os sentidos
Não terei medo do desconhecido
ou de algo que me toca
Desperta não fugirei do amor
não temerei qualquer dor
porque jamais aceitarei
o vazio nesta vida

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Mimar Você


Te quero só pra mim
Você mora no meu coração
Não me deixe só aqui
esperando mais um verão
Te espero meu bem
Pra gente se amar de novo
Mimar você
Nas quatro estações
Relembrar
O tempo que passamos juntos
Bem bom viver
Andar de mãos dadas
Na beira da praia
Por esse momento
Eu sempre esperei
.
Caetano Veloso

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Desnudada


Quando encontro as palavras
que me desnudam a alma
quando aceitamos a dor
por esta nos trazer o amor
quando arriscamos a vida
por paixão e emoção
as lágrimas soltam-se
por um misto de dor e alegria
por ser e não estar
nesta vida
o coração agradece
e alma fica enriquecida
pelo alimento puro,
forte e doce
que nos queima o sangue
mas purifica a alma dorida

domingo, 13 de abril de 2008

Ausência


Sinto que te perco
que te dissipas de mim
que te desvias
das minhas mãos
deslizas por entre os meus dedos
e eu completamente
apática continuo
sem nada fazer por ti
Sinto o peso do tempo
como nunca o senti
espero imóvel, sem reagir
que te afastes de mim
Mas fico-me
quieta e passiva
expectante e indiferente
somente esperando
que a saudade que já sinto
venha mas não crave a dor em mim...

sábado, 12 de abril de 2008

Viver




Liberta-te!

Solta os teus medos

aceita as derrotas

os defeitos

aceita-te!

Afinal só és humano

porque exiges a perfeição?

Para que quero eu isso?

Se para se ser feliz é preciso tão pouco....

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Quente


Procuro aquele lugar
desocupado e vazio
onde eu possa respirar
encher de cor e de brilho
Onde os sorrisos habitem
as palavras sejam lei
os sons belas melodias
as temperaturas ideais
Onde o coração bata
em compassos ritmados
onde a pele tenha cheiro
e os lábios ardentes beijos
quero encontrar um lugar
onde o sangue quente viva
onde os olhos tenham brilho
e o meu coração palpite

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Memórias

No livro da minha vida
TUDO é importante
TUDO é vida em mim
TODAS as memórias
TODAS! As boas e as más
NADA é esquecido
TUDO faz parte de mim
SOU assim....



segunda-feira, 7 de abril de 2008

Entrega


Libertei o meu sorriso
deixei escapar as palavras
as mais ternas
as profundas
as mais belas
e apaixonadas
Nada guardei
tudo dei
como quem dá uma flor
em papel sedoso
a embrulhei
revestida com amor
e assim me entreguei
solta, nua
e sem pudor

sábado, 5 de abril de 2008

Silêncio

.
.
Hoje o meu grito é em silêncio
por incompreensão das palavras
de um discurso controverso
de momentos inexplicáveis
calo-me para não me escutar
aprisiono os pensamentos
tento em vão evitar sofrer
seco as lágrimas
mas não as contanho
.
.


sexta-feira, 4 de abril de 2008

Azul


Que posso eu fazer senão viver
que posso eu esperar senão amar
que posso eu querer senão mergulhar
nesse mar de um azul translucido
límpido, cristalino e puro
Que busco eu senão a essência
no reflexo desse olhar
para poder caminhar
flutuar, voar, nascer
e me perder
e viver, viver, viver
numa entrega total
e me deixar levar
nas ondas desse mar
e me entregar a esse olhar

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Via




Nada nasce em mim
nada vem de mim
nada sou em mim
um canal
um meio
um fim
apenas isso
uma via
apenas me deixo usar

domingo, 30 de março de 2008

Asas


Ainda que me cortem as asas
Ainda assim, voarei!

quinta-feira, 27 de março de 2008

Procura






Procuro entender
a frieza das palavras
a ausência da ternura
e o vazio que cria em mim
.
sacudo todos os pensamentos na busca de uma razão
mas nada sai dessa procura incessante
nada que possa ser razão ou sentido
.
relembro o que sempre defendi
apelo à tolerância
que creio habita em mim
mas nada nasce desse vazio
nada brota,nada brilha
somente dúvida, ausência
.
mesmo dorida e cansada
serei fiel ao amor
à ternura nas palavras
nos gestos e no olhar
à partilha e ao respeito
.
ainda que pareça logro
serei assim!