sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Sou como uma Borboleta




Hoje sou apenas uma simples borboleta,

frágil e em mutação, na esperança de voar
sem qualquer limite, sem saber do tempo,

nem do espaço, apenas voar para o infinito.


6 comentários:

Erik disse...

Há tempos devo-te uma visita, já que me visitaste em minhas catacumbas.
Escreves muito bem, voltarei a visitar-te.
Erik, o Fantasma da Ópera

Bichinho disse...

Bons voos.

Beijo fantasma.

Paula disse...

Começo por agradecer e retribuir a tua passagem pelo meu blog. Foi um enorme prazer receber-te por lá.

Não digas que o que dizes não tem importância. Para mim, sejam quais forem as palavras que me dirigem, são sempre importantes. É com elas que me identifico ou não, é com elas que aprendo, é com elas que cresco.

És mulher, entendes as outras mulheres e sabes o que dizes. Óptimo, vai ser muito bom. Portanto, caso queiras, continua a mimar-me, pois mimo, é algo que não dispenso.

Voltarei aqui para "absorver" o teu blog e deixar nele a minha marquita.

Bjinho grande

DE-PROPOSITO disse...

Andei por aqui.
Vou andando.
Felicidades.
Manuel

ternura disse...

Quem me dera ser borboleta, ter lindissimas cores e poder voar, voar, para longe de, por vezes, tão dura realidade.
Beijinho

Amaral disse...

Uma doce borboleta!...
Havia quem as coleccionasse, secas, nos seus livros... Nem assim, perdiam a sua beleza!...
Vê-las voando, livres, sem medo, faz-nos desejar sermos como elas!