domingo, 7 de agosto de 2011

Eternidade


Beijo teus lábios com sensualidade …

Meus dedos te percorrem com talento …
Te espantas, cantas suave lamento,
Te transporto par ´a eternidade


Ao beijar teus seios pontificados
Encontras a loucura da paixão
Desejas se prolongue a ilusão
Sonhos sonhados, ai! … reencontrados …


Vindos do meu amor, arte, saber?
Qual! Sem valor tirar aos meus intentos
Vêem do teu desejo de me ter!


São cores, brilhos, choques, risos, ventos…
Teus beijos não dissipam sentimentos
Pois és tanto menina como mulher!


Fernão Botelho

1 comentário:

Lobo disse...

Pois... Mulher....
Tuas palavras são como beijos...
Que doce sentir....
Não partas fica aqui...
Eu também não quero partir!...


Beijinhos